Notícias



A professora que se tornou advogada

A Seleção Canarinho ainda comemorava o tricampeonato na Copa do Mundo em 1970 quando Andréa Ferreira de Mello nasceu em uma família de pernambucanos e italianos.  A filha do meio de Suely e Nelson Ferreira de Mello, nutria a ideia de dar aula desde a infância. Foi mãe em 1988, com o nascimento de Lucas, mesmo período em que terminaria o Magistério.

“A maternidade não me impediu de fazer o que queria. Fiz Letras na Universidade Anhembi Morumbi e dei aula de Português durante oito anos. Gosto da sala de aula e de compartilhar conhecimento, acho que tenho jeito para ensinar”, revela. 

Em 1995 a família toda se muda para a cidade de Bauru, interior do estado e lá, voltou para a sala de aula, agora como aluna do curso de Direito no Instituto Toledo de Ensino. “Eu sempre gostei de estudar então quando uma amiga foi fazer vestibular, resolvi prestar novamente. Entrei na área, meio por acaso.”

Trabalho, estudo e viagens
Andréa foi estagiária no Ministério Público, atuou em escritório, foi advogada do clube de futebol Bauru e em 2007, voltou para São Paulo. “Nesse período, vendi o meu carro e fui para o Canadá para aprimorar meu inglês. Em 2009, através da Fundação Lemann, obtive uma bolsa para estudar na Suíça, agora com foco em Direito e Economia”, relembra.

Em 2011 entrou na TPI na função de gerente jurídica. A profissional também trabalhou na FIESP e em 2018 retornou para a Triunfo ao assumir a gerência jurídica e de Compliance da Econorte, na cidade de Londrina. “Minha trajetória é marcada pelas oportunidades e quando apareceu a Econorte, eu aceitei. A empresa é um case, tudo acontece aqui. Estou aprendendo muito e a equipe é muito redonda.”

Andréa vai se casar em breve e comenta sobre sua história de vida, bonita e agitada. “Eu sempre fiz o que quis. A única pessoa que pode dizer NÃO, somos nós, então é preciso fazer, porque nada cai do céu. Também aprendi que tudo passa: se algo ruim está acontecendo, isso vai passar, assim como as coisas boas. É preciso aprender e seguir em frente.”


Fonte: Assessoria de Imprensa Econorte - 11/11/2019 às 00:00

Visualizar feed RSS das noticias